6.png

BLOG FATOR V

EXPERIÊNCIAS SUSTENTÁVEIS E DE BEM-VIVER

BEBERIBE PARA ALÉM DAS AREIAS COLORIDAS



Já tinha algum tempo em que a ideia de "largar tudo" e buscar uma vida mais saudável, leve e conectada com a natureza habitava minha mente de forma persistente.


Não me parecia natural viver em uma "cidade grande", onde praticamente só existe cimento e asfalto para todo lado. Ficando para poucos o privilégio de viver de frente para o mar ou próximo a uma área verde (elemento cada vez mais raro em Fortaleza).


Inicialmente o plano era buscar uma serra para que eu pudesse viver imersa de verdade na natureza, com muita área pra plantar meu próprio alimento, inclusive. Contudo, a oportunidade de viver na praia surgiu e a cidade de Beberibe foi que me escolheu.


Mesmo sendo do Ceará e já tendo passado à passeio e a trabalho por esta cidade, minha visão sobre suas potencialidades era completamente limitada às falésias - Monumento Natural das Falésias de Beberibe - que são o cartão postal do município.


Ocorre que após 06 meses VIVENDO por aqui eu ainda sinto que estou muito (mas muito mesmo) longe de conhecer todas as maravilhas que aqui existem. Sejam as belezas cênicas criadas pela mãe natureza, seja as estruturas turísticas que não param de me surpreender.


Mas antes de falar exatamente sobre isso quero ressaltar também a simpatia dos moradores e a sensação de segurança que, mesmo ainda existindo eventualmente alguns casos de violência como em qualquer cidade, posso dizer que ando sozinha e de bicicleta todos os dias, faço caminhada com minha cachorra, vou "na bodega" e sempre tudo bem!!!



Agora falando sobre algumas aventuras e descobertas sobre a natureza de Beberibe...


Nesse post falarei muito rapidamente sobre algumas aventuras e descobertas pois pretendo escrever de forma mais aprofundada e específica sobre cada uma delas.


A ideia é que você fique sabendo de cada detalhe, desde os perrengues até as melhores experiências e quem sabe acabe se inspirando a fazer coisas do tipo.


Quero destacar então:


01 - As dunas entre o bairro Marina do Borro Branco e a praia da Tabuba! (Foi onde tirei a foto "segurando" o sol e onde tive uma apresentação exclusiva de sax).



São simplesmente lindas, dá pra ver um pôr do sol fantástico e incrivelmente quase ninguém conhece ou vai por lá, a não ser os moradores locais.

Nessas dunas não são realizados passeios de buggy pois segundo alguns motoristas além delas serem muito instáveis (móveis) a areia é muito fofa. Resultado: com um razoável esforço de subir a pé, você vai ter uma visão panorâmica de Morro Branco/Tabuba e ainda vai te render uma série de imagens quase que exclusivas.


Como chegar: Vindo de Beberibe pela pista asfaltada você deve entrar à esquerda na última rua de calçamento antes da "curva" que desce pras barracas de Morro Branco. O nome dessa via é Avenida Pedro Maciel e você deve seguir ela até o final, quando ela encontra com a Avenida C. A partir desse ponto você deverá seguir a pé até começar a subida das dunas.
Dica: Procure os caminhos com mais vegetação pq de fato a areia é tão fofa que é difícil até caminhar. Pare no ponto mais alto que você enxergar e aprecie a vista.

02 - A praia da Tabuba (ou Barra Nova), às margens do rio Choró já na divisa de Beberibe com Cascavel! (Foto das redes e essa onde comemoro a chegada pq para mim foi um desafio físico os 06km pela praia de bike).


Do outro lado do rio você vai ver uma grande estrutura de barracas da praia de Barra Nova (Cascavel), porém, do lado de cá em Beberibe, a praia é semideserta (quanto mais cedo você for melhor) e conta com apenas duas estruturas de barracas BEM RÚSTICAS.

Apesar da rusticidade pode confiar que a comida e os serviços são muito bons na barraca Encanto do Sol.

Lá também é possível fazer um passeio de barco pelo rio caso você vá na maré alta.

O passeio custa R$ 20,00 por pessoa ou você pode fretar o barco somente para seu grupo por R$ 150,00. (Em breve farei outro post sobre esse passeio)


Como chegar: Vindo de Beberibe pela pista asfaltada você deve entrar à esquerda na última rua de calçamento antes da "curva" que desce pras barracas de Morro Branco. O nome dessa via é Avenida Pedro Maciel e você deve seguir ela até o final, e entrar à direita na Avenida C e depois à esquerda onde parece que ela acabou (mas não acabou). Você deverá seguir a Avenida C até onde ela literalmente "acaba" já na praia da Tabuba. A partir daí será necessário caminhar pela areia até chegar às margens do rio.
Dica: Eu e Ivo fomos de bike pela praia (12km ida e volta) e nesse caso é fundamental ir na maré baixa. Inclusive por isso não fizemos o passeio de barco da primeira vez, mas fizemos recentemente, o que valerá um outro post (pq merece muito).

- A lagoa "dos portugueses" na praia do Diogo (Foto caminhando ou sentada na mureta de pedra).


Essa belezinha de lugar fica na Praia do Digo, colada com a Praia das Fontes. Lá é frequentado especialmente pela população local ou por turistas levados pelos buggueiros mas são apenas poucos minutos que ficam por lá (uma pena pq é uma das melhores partes do passeio). Neste local existem duas lagoas, sendo minha preferida esta de frente pro mar. A água é bem limpa e o visual rende fotos maravilhosas. A parte não muito boa é que algumas pessoas chegam com "a farofa e o som de carro". Nada contra a farofa, mas tudo contra o som dos carros.


Como chegar: Vindo de Beberibe pela pista asfaltada você entra à direita na Alameda Artur Emílio (só perguntar onde entra pra ir para a Praia das Fontes) e segue nela até chegar na Praia do Diogo, mais precisamente na Pousada Sol Nascente. A partir de lá você analisa se seu carro da conta da estradinha de terra. As lagoas ficam no final dessa estrada (cerca de 1,5km) que se chama estrada olho d'água.
Dica: Leve água, bebidas, lanches (e uma sacola pra trazer seu lixo de volta). Lá não existe qualquer estrutura.

E então, o que acharam? Assina no final da página esse blog pra não perder as próximas dicas!!!


Siga: @fatorv.oficial | @magdamaya_ | @ivosousa_sax |


Magda Helena Maya

Escritora | Greenfluencer

Dra. em Desenvolvimento e Meio Ambiente